domingo, 21 de janeiro de 2018

MENSAGEM DO DIA

NO PARÁ DO AÇAÍ - JAN 16


VIVENDO NO BRASIL 1


GUIANA BRASIL

Guiana e Brasil criam comitê bilateral para colaboração em área de saúde

Arquivo. EFE/Fernando Bizerra Jr.

Os ministros de Saúde da Guiana e do Brasil acordaram estabelecer um comitê bilateral para abordar o fortalecimento da colaboração em assuntos de serviços de saúde entre os dois países sul-americanos destinado, principalmente, à população que vive em áreas fronteiriças.

O ministro de Saúde Pública da Guiana, Volda Lawrence, disse neste sábado após se reunir com seu homólogo brasileiro, José Managaines Barros, que entre os temas discutidos na reunião está a colaboração com a Faculdade de Medicina do Brasil sobre antídotos, troca de informação entre laboratórios e sobre doenças tropicais.

"As pessoas que tiveram experiência no Brasil e obtiveram os conhecimentos necessários puderam retornar à Guiana e prestar serviços à nossa gente", disse Lawrence.

O ministro agradeceu, além disso, a vontade do Brasil de ajudar a Guiana na erradicação da asma.

O ministro de Saúde do Brasil comentou que a visita ajudará a avançar em vários pontos da agenda propostos por ambos países que melhorarão ainda mais a cooperação em assuntos relacionados com a saúde.

"Falamos de cooperação com relação ao antídoto para picadas de cobra e também sobre o atendimento aos cidadãos da Guiana no hospital Boa Vista", disse Barros.

Barros afirmou que o Brasil proporcionará à Guiana assistência para corrigir deficiências no sistema de saúde local, além de capacitação e cobertura básica de saúde.

Durante a reunião, ficou constatado que existe a necessidade, na zona fronteiriça, de reforçar o serviço de atendimento primário de saúde e a alfabetização sanitária a fim de garantir que as pessoas recebam a assistência adequada.

As conversas entre ambos funcionários ocorrem depois de uma declaração pública do Ministério de Saúde Pública da Guiana sobre o estabelecimento de uma possível associação com o Brasil para proporcionar melhores serviços de saúde para os residentes nas Regiões Oito e Nove.

O objetivo é que as pessoas que residem nas comunidades fronteiriças utilizem serviços de atendimento médico no Brasil ao invés de enfrentar horas de viagem para ter acesso ao atendimento médico em Georgetown.EFE

PYEONGCHANG 2018

"O esporte sempre pode construir pontes", diz presidente do COI

EFE/EPA/Laurent Gillieron

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, afirmou que a reunião deste sábado em Lausanne na qual será determinada a participação dos atletas norte-coreanos nos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang mostra como o esporte pode contribuir para o diálogo.

"Aqui estamos, falando sobre esporte e sobre os Jogos Olímpicos e isto mostra que o esporte pode sempre construir pontes e ser uma plataforma de diálogo", disse Bach à imprensa antes do início da reunião.

Neste encontro participam uma delegação da Coreia do Norte, uma da Coreia do Sul e uma do Comitê Organizador de PyeongChang 2018, além dos representantes do COI.

O que falta decidir é se nos Jogos Olímpicos de Inverno - que começarão no condado sul-coreano em 9 de fevereiro - participarão ou não atletas norte-coreanos e quantos e em quais esportes.

Além disso, no caso de participação dos atletas, resta saber se alguns deles estarão nos Jogos Paralímpicos.

Em seu discurso perante os convidados, Bach disse que o processo está sendo feito baseado "na crença de que os Jogos Olímpicos estão além das tensões políticas".

"No esporte todos somos iguais, sem levar em conta de onde viemos ou quem somos: Norte ou Sul, Leste ou Oeste, mulheres ou homens, rivais ou amigos", afirmou.

"A nossa reunião mostra que o esporte olímpico sempre constrói pontes. Nunca constrói muros", asseverou.

Em prévias reuniões mantidas por representantes dos dois países já ficou decidido que será formada uma seleção conjunta de hóquei feminino de gelo.

Além disso, pela primeira vez em 12 anos, as duas Coreias desfilarão juntas e sob uma mesma bandeira na abertura dos Jogos, algo que já ocorreu em outras três ocasiões.

Todo este processo começou quando o líder norte-coreano, Kim Jong-un, expressou em seu discurso do começo do ano o desejo de melhorar laços e enviar uma delegação a PyeongChang.

Depois, ocorreu uma histórica reunião mantida entre os dois países - que tecnicamente ainda estão em guerra -, na qual decidiram se aproximar graças ao evento esportivo.EFE

FÓRUM DAVOS

Greenpeace coloca estátua em Davos para lembrar empresas de responsabilidade

Protesto contra o fórum em foto de 13 de janeiro. EFE/EPA/Christian Merz/arquivo

O Greenpeace instalou na quinta-feira em Davos, na Suíça, onde acontecerá na próxima semana o Fórum Econômico Mundial, uma estátua de seis metros de altura da deusa grega Têmis, imagem universal da justiça, para lembrar as empresas de sua responsabilidade com o meio ambiente e os direitos humanos.

A organização ecologista também divulgou dez princípios fundamentais "para pôr fim aos ataques ao meio ambiente e aos direitos humanos perpetrados pelo setor privado", indicou em um comunicado.

Em um relatório intitulado "Justiça para as pessoas e para o planeta", o Greenpeace exige dos governos a implementação de regras vinculativas e eficazes em nível global para "obrigar as empresas a assumir suas responsabilidades quando cometem abusos de direitos humanos e atentam contra o meio ambiente".

O estudo sustenta que os governos permitem que as grandes empresas atuem "com impunidade".

Uma análise de 20 casos concretos ilustra como os atores do setor privado "utilizaram as lacunas do direito corporativo, do direito internacional, dos acordos fiscais e tratados de investimento, bem como o lobismo, para gerar benefícios às custas das pessoas e do meio ambiente", ressaltou o Greenpeace.

Entre as empresas citadas no relatório aparecem a Cobra, filial industrial do grupo construtor e de serviços ACS, DowDupong, Exxon, Glencore, Grupo Bimbo, Monsanto, Nestlé, Novartis (Sandoz), Rosatom, Total e VW.

No caso da Cobra, por exemplo, o Greenpeace afirma que "a empresa apoiou a construção de uma hidroelétrica na Guatemala, com pleno conhecimento de que impactaria nos direitos humanos de comunidades indígenas".

Entre as empresas citadas no relatório, 20 delas participarão com seus principais executivos no Fórum de Davos ou são parceiras oficiais deste encontro anual, que acontecerá entre os dias 23 e 26 de janeiro na estação alpina suíça.

"A elite econômica se reunirá em Davos para abordar o tema 'Criando um futuro compartilhado em um mundo fraturado', quando na realidade os principais atores do setor privado seguem fazendo tudo para aumentar sua influência e maximizar seus benefícios, acima dos direitos dos cidadãos e do planeta", denunciou em um comunicado Matthias Wüthrich, especialista de responsabilidade social das empresas do Greenpeace Internacional.

"Se queremos proteger eficazmente o meio ambiente, a gestão da justiça deve estar no centro da gestão das empresas", acrescentou.EFE

R.UNIDO BANCOS

HSBC paga US$ 101,5 milhões para encerrar investigação nos EUA

EFE/YM YIK

O banco britânico HSBC, o maior da Europa, aceitou pagar US$ 101,5 milhões para concluir uma investigação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos sobre antigas transações fraudulentas no mercado de moedas.

A entidade bancária anunciou nesta sexta-feira em um comunicado à Bolsa de Londres que chegou a um acordo de "imputação diferida em três anos" com o Departamento de Justiça americano - que será analisado por um tribunal -, que lhe permite evitar um processo criminal.

O HSBC explica que a soma definida, por irregularidades cometidas na sua divisão de Mercados Globais em 2010 e 2011, compreende US$ 63,1 milhões de sanção e US$ 38,4 milhões de reparação.

O banco, do qual um dos agentes foi indiciado no ano passado por estas irregularidades, indica que a penalização inclui um desconto de 15% que reconhece "a cooperação do HSBC durante a investigação bem como sua extensiva reparação".

A entidade ressalta que o pagamento já foi efetuado e informou sobre o mesmo no relatório anual de contas de 2016 e no relatório interno de 2017.

O HSBC assegura que, desde que as infrações foram cometidas, introduziu diversas medidas dirigidas a "tornar mais robusto o entorno de controle no negócio de Mercados Globais".

Este melhor controle, segundo a nota, inclui a introdução de cálculos algorítmicos para administrar o risco das operações; a revisão das normas de vendas, confidencialidade, preços e abuso do mercado e o encargo de auditorias externas sobre os seus processos.

O banco já chegou em 2014 a um acordo similar com a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido e a Comissão de Mercados de Futuros de Matérias-Primas dos EUA, e em 2017 pagou US$ 175 milhões ao Conselho do Federal Reserve (banco central americano) por irregularidades nas suas operações no mercado de moedas.

Em novembro, a entidade também pagou 300 milhões de euros às autoridades francesas para arquivar uma investigação sobre a evasão fiscal de clientes franceses através do seu braço suíço.

Em julho do ano passado, o HSBC informou de um aumento de 10,12% de seu lucro líquido no primeiro semestre de 2017, até US$ 6,99 bilhões.EFE

EUA CIÊNCIA

Cientistas desenvolvem sistema de impressão 3D de medicamentos

Impressora 3D em foto de 2017. EFE/Hugo Ortuño

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Glasgow, na Escócia, desenvolveu um sistema de impressão e análise química 3D de medicamentos, mais barato e rápido que os processos tradicionais, de acordo com um estudo publicado nesta quinta-feira pela revista "Science".

"Acredito que o sistema mudará a forma com a qual fabricamos substâncias químicas finas e, possivelmente, medicamentos. Iremos aumentando a confiança (no sistema), por isso esperamos que a indústria o receba bem", explicou em entrevista à Agência Efe um dos integrantes da equipe, o professor Lee Cronin.

Além disso, Cronin destacou que o sistema é capaz de fazer com que as substâncias químicas se estabilizem e se isole, como ocorre na indústria química tradicional.

Segundo os autores do estudo, as fábricas de produção de medicamentos têm alto custo e é difícil reutilizadas para a elaboração de diferentes medicamentos.

O sistema criado pelo professor Philip Kitson e seus colegas, por sua vez, utiliza modelos personalizados para a síntese das substâncias utilizando simples módulos de plásticos, que podem ser embalados e usados em outro lugar, com baixo custo.

O software que identifica as reações químicas e os processos necessários para cada medicamento gera componentes possíveis de ser impressos em uma impressora 3D barata, de US$ 2 mil.

Os pesquisadores provaram a capacidade do sistema para produzir baclofeno, um relaxante muscular, e descobriram que podiam usá-lo para preparar o medicamento a partir de três passos: a identificação de reações químicas e processos, a tradução dos modelos para 3D e a impressão do remédio.

Para os autores, esse sistema tem múltiplos benefícios, entre eles o acesso universal, uma distribuição mais eficiente e a possibilidade de ser mais barato do que a indústria tradicional.EFE

VIVENDO NO BRASIL 2

PAPA VIAGEM

Papa diz que Peru sofre com outras "tempestades", como violência e desemprego

EFE/EPA/Luca Zennaro

O papa Francisco celebrou neste sábado uma grande missa para cerca de 200 mil pessoas em Trujillo, cidade no litoral do Peru que foi gravemente atingida pelas inundações causadas pelo fenômeno El Niño Costeiro no ano passado, na qual lembrou as outras "tempestades" com as quais os peruanos sofrem, como a violência, a falta de emprego e de moradias seguras.

Em seu segundo dia de visita ao país sul-americano, o pontífice se deslocou até a praia de Huanchaco, uma das principais atrações turísticas do Peru, para celebrar sua primeira missa no país.

Diante de mais de 200 mil pessoas, Francisco lembrou que os moradores desses lugares "conhecem a fúria da natureza e experimentaram sua violência", como o El Niño Costeiro no ano passado, que devastou Trujillo, deixando 160 mortos e mais de 300 mil atingidos.

Em seguida, o papa advertiu que há outras "tempestades" que representam ameaças à sociedade nesta região e que têm efeitos "devastadores", como a "violência organizada" e a "insegurança".

Outras "tempestades" mencionadas por Francisco foram "a falta de oportunidades de educação e trabalho, especialmente entre os mais jovens, o que lhes impede de construir um futuro com dignidade", e "a falta de um teto seguro para tantas famílias, que são forçadas a viver em áreas de alta instabilidade e sem acessos seguros".

Para Francisco, a solução para sair dessas "tempestades" e seguir em frente se chama "Jesus Cristo".EFE

EUA MÚSICA

Eagles e hotel mexicano entram em acordo sobre o nome "Hotel California"

Eagles em foto de 2014. EFE/Paul Bergen

O grupo Eagles e os proprietários de um hotel mexicano chegaram a um acordo na quinta-feira e encerraram um processo movido pela banda americana, em maio do ano passado, por conta de um suposto uso indevido do nome "Hotel California", que dá título à sua música mais famosa.

"Este assunto foi resolvido com um acordo entre as partes", disse o advogado Tom Jirgal, que representa o grupo musical, em um comunicado publicado pelo site da revista "Billboard", mas que não traz mais detalhes do conteúdo do acordo.

A acusação e defesa rejeitaram em conjunto o processo em um tribunal federal de Los Angeles (Califórnia), enquanto que o Escritório de Patentes e Marcas dos EUA aceitou o requerimento do hotel de abandonar sua petição de registro.

O Eagles assegurava em sua queixa que os proprietários do Hotel California, em Todos Santos, uma localidade de Baixa Califórnia (México), fizeram com que seus hospedes, desde 2001, acreditassem que o local tinha alguma relação com a canção.

A banda negou que "Hotel California" tenha a ver com esse estabelecimento, exigiu que seus donos deixassem de lucrar usando o nome da música e exigiu uma indenização.

Em seu site, o hotel fala das "lendas" que apontam uma conexão entre o lugar e a canção do grupo musical, mas indica de forma explícita que seus proprietários "não têm nenhuma afiliação, nem promovem nenhuma associação" com a banda.

"Hotel California" fez parte do disco homônimo de 1976 do Eagles, o mais vendido da banda de rock liderada por Glenn Frey e Don Henley.

A canção se transformou no maior sucesso do Eagles e alimentou todo tipo de histórias sobre o famoso hotel, desde o localizado no México e até que se referia a um centro psiquiátrico em Los Angeles.

A misteriosa letra de "Hotel California" foi interpretada como uma metáfora para os excessos da vida dos artistas, bem como um olhar crepuscular sobre o sonho americano e alguns até assinalaram que incluíam mensagens satânicas.EFE

FRANÇA OBITUÁRIO

Morre aos 91 anos chef considerado o "papa da gastronomia"

EFE/Ian Lagsdon

Paul Bocuse, impulsor da nouvelle "cuisine" francesa e o cozinheiro mais famoso de seu país, morreu neste sábado aos 91 anos de idade, anunciou a família do chef à imprensa francesa.

"Paul Bocuse morreu, a gastronomia está de luto. Senhor Paul era a França. Simplicidade e generosidade. Excelência e arte de viver. O papa da gastronomia nos deixou", disse o ministro do Interior, Gérard Collomb, em uma mensagem postada em sua conta na rede social Twitter.

Bocuse, nascido em 11 de fevereiro de 1926 em Collonges-au-Mont-d'Or, perto de Lyon, foi escolhido pelo guia Gault et Millau como o cozinheiro do século e teve 3 estrelas Michelin por mais de 50 anos.

Bocuse estreou nos fogões aos 10 anos, em um negócio de sua família, e só abriu seu próprio restaurante em 1958, recuperando o estabelecimento familiar L'Auberge du Pont, que foi rebatizado por ele como Paul Bocuse.

O ponto de inflexão em sua carreira aconteceu na década de 70 com a "nouvelle cuisine", corrente gastronômica que se tornou o pilar da modernidade culinária, graças em parte ao seu livro "A cozinha de mercado".

Criador em 1987 do Bocuse d'Or, prestigioso concurso bienal de gastronomia, esta lenda dos fogões francesas contribuiu também à formação de seus sucessores com a fundação em 1990 do Instituto Bocuse, com sede em Lyon.EFE

COMPANHIAS AÉREAS

Avião da Norwegian bate recorde de tempo em voo transatlântico comercial

Boeing 737-800 da Norwegian. EFE/ Arquivo

A companhia aérea norueguesa Norwegian informou nesta sexta-feira que um dos seus aviões bateu nesta semana o recorde de tempo em um voo transatlântico subsônico comercial.

Trata-se de um Boeing 787-9 Dreamliner que na segunda-feira passada completou em 5 horas e 13 minutos o trajeto entre o aeroporto JFK de Nova York, nos Estados Unidos, e o de Gatwick, em Londres, no Reino Unido, três minutos a menos que a marca anterior, de uma aeronave da British Airways em 2015.

O voo, que levava 284 passageiros a bordo, decolou de Nova York às 16h44 GMT e chegou a Londres às 21h57 GMT, 53 minutos antes da hora programada.

Os fortes ventos sobre o Atlântico Norte, que alcançaram um máximo de 326 quilômetros por hora e impulsionaram o avião a uma velocidade máxima de 1.249 quilômetros por hora, possibilitaram a conquista do recorde.
O comandante da aeronave ainda declarou no comunicado que, se não fossem algumas turbulências ocorridas em menor altitude, poderia ter voado ainda mais rápido.EFE

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

HAPPY HOUR



PENSAMENTO DA SEXTA


NOSSO SOM







NO PARÁ DO AÇAÍ - JAN 15


GASTRONOMIA BELÉM DO PARÁ

Belém será ‘capital’ da gastronomia brasileira em janeiro

Mônica Rangel - Gosto com Gosto - Foto: Divulgação

Quem ainda quer curtir o final de janeiro, uma opção diferente e imperdível é conhecer Belém, no Pará. Praias de água doce, uma arquitetura centenária, o carimbó – ritmo tradicional, e principalmente a gastronomia prometem uma viagem inesquecível. Para acrescentar a este cenário convidativo, nos dias 27 e 28 de janeiro, acontece na capital paraense o Festival Fartura – Comidas do Brasil Belém, na Estação das Docas, um dos pontos turísticos da cidade.

No evento, mais de 50 atrações gastronômicas se dividem entre os espaços onde o público poderá conhecer produtos, aprender e experimentar receitas de chefs e cozinheiros de cerca de 10 estados brasileiros. Para os turistas, além de explorar a gastronomia local, pois mais da metade dos participantes é do Pará, o Festival é também uma oportunidade de experimentar pratos de grandes chefs de todo o Brasil.

A chef Bel Coelho, do estrelado Clandestino (SP), apresenta uma Cozinha ao vivo; já o mineiro Pablo Oazen, vencedor do programa Masterchef Profissionais, terá um estande com suas receitas; a famosa chef Mônica Rangel, do restaurante Gosto com Gosto (RJ) prepara uma galinha com canela e arroz de quiabos; Rafael Bruno, do premiado Ponto X (MA), dá uma aula, na qual ensina seu arroz de cuxá e as particularidades da cozinha maranhense, além de muitos outros.

O Festival Fartura – Comidas do Brasil Belém também concentra os grandes ícones que fizeram a gastronomia do Pará uma das mais ricas do Brasil. Thiago Castanho, um dos grandes chefs a espalhar a cozinha paraense para o mundo, participa com uma aula no Espaço do Conhecimento. Prazeres Quaresma (Saldosa Maolca); o Point do Açaí – imperdível para quem vai a Belém; Ofir de Oliveira, um mestre da culinária amazônica; representantes do Mercado Ver-o-Peso e muitas outras atrações.

A Plataforma Fartura – Comidas do Brasil reúne expedição, filmes, vídeos, livros, programas de rádio, conteúdo para o site e redes sociais, além dos festivais. Começar o ano celebrando a rica gastronomia do Pará só pode dar sorte.

Os horários das atrações podem ser consultados no site www.farturabrasil.com.br, no qual também estão disponibilizados receitas, histórias, vídeos e áudios das viagens da Expedição Fartura.EFE

VIVENDO NO BRASIL 1

PIS /PASEP DO TRABALHADOR

Sétimo lote do abono salarial 2016 começa a ser pago


Quase 3,6 milhões de trabalhadores da iniciativa privada nascidos em janeiro e fevereiro e de servidores públicos com inscrição de final 5 podem sacar, a partir de (18), o abono salarial dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) referentes ao ano-base 2016.

O Ministério do Trabalho informou que, neste sétimo lote, serão liberados R$ 2,671 bilhões para o pagamento de benefícios que variam de R$ 80 a R$ 954, de acordo com o tempo de trabalho no ano-base. O valor referente ao PIS deve ser retirado em agências da Caixa Econômica Federal e, ao Pasep, em agências do Banco do Brasil.

O abono salarial ano-base 2016 começou a ser pago em 27 de julho de 2017 e, até o final do ano, foram liberados recursos para trabalhadores privados nascidos de julho a dezembro e para servidores públicos com finais de inscrição de 0 a 4. Dados preliminares mostram que já foram pagos R$ 8,11 bilhões a 11,07 milhões de trabalhadores, o equivalente a 45,17% dos mais de 24,5 milhões de beneficiários que têm direito ao abono.

O valor ainda disponível para saque é superior a R$ 9,8 bilhões. O governo informou que mesmo quem já teve o benefício liberado no ano passado mas não sacou o recurso pode fazer a retirada do abono salarial. O dinheiro ficará disponível para saque nas agências bancárias até 29 de junho. Depois, os benefícios que não forem sacados retornarão ao Fundo de Amparo ao Trabalhador, para pagamento do benefício referente ao próximo ano e do seguro-desemprego.

Direito

O abono salarial ano-base 2016 é pago a quem estava inscrito há pelo menos cinco anos no PIS/Pasep e trabalhou formalmente por pelo menos um mês naquele ano, com remuneração média de até dois salários mínimos. Além disso, é preciso que os dados tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais.

Depois do pagamento que começa esta semana, mais dois lotes ainda serão pagos pelo ministério. No dia 22 de fevereiro, começam a ser liberados os recursos para quem nasceu em março e abril, além de servidores com inscrições de finais 6 e 7. Já em 15 de março, começam a receber o benefício quem faz aniversário em maio e junho e servidores com inscrições finalizadas em 8 e 9.

Mais informações podem ser acessadas por meio dos seguintes canais disponibilizados pelo governo: Alô Trabalho, do Ministério do Trabalho: 158; Caixa: 0800-726 02 07; e Banco do Brasil: 0800-729 00 01. As ligações são gratuitas de telefone fixo e podem ser feitas de qualquer cidade brasileira. Agência Brasil

VIVENDO NO BRASIL 2

COMPORTAMENTO