segunda-feira, 31 de julho de 2017

MENSAGEM DO DIA

SAÚDE -Terapia virtual gratuita pode tratar distúrbios mentais

Pesquisadores ressaltam a importância da resposta rápida dada logo após o contato inicial do paciente (Foto: pcmag)

A Inglaterra está em meio a uma experiência nacional única. O país vem colocando em prática a terapia de conversação, o mais ambicioso esforço do mundo para tratar de depressão, ansiedade e outros distúrbios mentais comuns na sociedade atual.

A iniciativa consiste em oferecer tratamento virtual gratuito por todo o país, em que a pessoa pode ter uma conversa aberta sobre esses distúrbios. O objetivo dessa iniciativa é de eventualmente criar um sistema de atendimento primário para doenças mentais por todo o Reino Unido.

À medida que diversos países vêm debatendo reformas em larga escala no tratamento de distúrbios mentais, pesquisadores estudam a experiência inglesa, avaliando sua popularidade e suas limitações. Especialistas explicam que, embora os sistemas de tratamento desses distúrbios sejam variados no mundo ocidental, nenhum deles chegou tão longe em oferecer amplo acesso a terapias de conversação.

Um dos maiores desafios do programa britânico é a demanda alta. Atualmente, o programa contabiliza quase um milhão de pessoas atendidas por ano e, segundo o jornal New York Times, o número de adultos ingleses que receberam algum tratamento de saúde mental saltou, de uma média de um em cada quatro, para um em cada três – e a tendência é que aumente.

Além disso, profissionais de saúde mental apontam que o programa avançou um longo percurso para tentar remover o estigma da psicoterapia em um país cercado de rigidez ética. “Hoje você escuta jovens falando ‘Eu preciso de terapia para isso’”, disse Tim Kendall, diretor clínico de saúde mental do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido.

Pesquisadores também destacam a enorme quantidade de dados já coletados pelo programa e ressaltam a importância da resposta rápida dada logo após o contato inicial do paciente, onde é decidido a forma de tratamento.

“Eles não estão apenas ampliando o acesso ao tratamento, mas também estão sendo responsáveis pelo tratamento que é entregue. Isso que faz o esforço britânico ser tão inovador e extraordinário”, afirmou Karen Cohen, chefe executiva da Associação Psicológica Canadense.
New York Times

UNIVERSIDADE DE BRESCIA NA ITÁLIA

Cientistas desenvolvem método para diferenciar Alzheimer de outra demência

Cérebros afetados por Alzheimer e por DFT são danificados em circuitos diferentes / Reprodução/Pixabay

Cientistas da Universidade de Brescia, na Itália, desenvolveram um novo método não invasivo para distinguir a doença de Alzheimer da demência frontotemporal (DFT), dois tipos de demência com sintomas semelhantes, mas cujos tratamentos são diferentes.

A descoberta foi publicada nesta semana na Neurology, revista científica da Academia Americana de Neurologia.De acordo com a pesquisadora Barbara Borroni, que liderou o estudo, no passado acreditava-se que a DFT era uma doença rara, mas estudos mais recentes mostram que ela corresponde a até 15% dos casos de demência.

"O problema é que, por causa de sua vasta gama de sintomas, a DFT é frequentemente diagnosticada de forma errada como um problema psiquiátrico, Alzheimer ou Parkinson", disse Barbara.A doença em geral afeta mulheres a partir dos 50 anos e é caracterizada por uma mudança radical de comportamento e problemas de linguagem.

Estimulação magnética transcraniana

De acordo com Barbara, como não há cura para DFT, é importante identificar a doença com precisão para que os médicos possam tratar os sintomas e evitar terapias desnecessárias – como os remédios inibidores da acetilcolinesterase, por exemplo, que são prescritos para doença de Alzheimer, mas não funcionam bem para DFT.

"Fazer o diagnóstico correto pode ser difícil. Os métodos atuais podem ser tomografias cerebrais muito caras, ou punções lombares invasivas, que envolvem a inserção de uma agulha na medula espinhal. Portanto, é animador que sejamos capazes de fazer o diagnóstico correto de maneira fácil e rápida, com um procedimento não invasivo", disse Barbara.

A nova técnica, batizada de estimulação magnética transcraniana (EMT), consiste em colocar uma grande bobina eletromagnética no couro cabeludo. O aparelho gera correntes elétricas que estimulam as células nervosas.

Respostas diferentes

Para realizar a pesquisa, os cientistas conduziram um experimento envolvendo 79 pessoas com suspeita de Alzheimer, 61 pessoas com suspeita de DFT e 32 pessoas da mesma faixa etária que não apresentavam sinais de demência.

Utilizando o EMT, os cientistas conseguiram medir a capacidade do cérebro para conduzir sinais elétricos entre diferentes circuitos cerebrais. Eles descobriram que as pessoas com doença de Alzheimer tinham problemas especialmente em um tipo de circuito, enquanto os pacientes com DFT apresentavam problemas em outro tipo de circuito.

Com isso, os cientistas foram capazes de diferenciar a DFT da doença de Alzheimer com 90% de precisão. A precisão foi de 87% para a distinção entre Alzheimer e cérebros saudáveis e de 86% entre DFT e cérebros saudáveis. Segundo os autores do estudo, os resultados foram igualmente bons quando o teste foi feito apenas em pessoas com formas suaves da doença.

Esperança do diagnóstico precoce

De acordo com Barbara, a precisão dos resultados na comparação entre os dois grupos de pacientes foi comparável à dos testes de tomografia por emissão de pósitrons (PET, na sigla em inglês) e também à do método que utiliza fluido da medula espinhal por meio de punções lombares.

"Se nossos resultados puderem ser replicados em estudos maiores, será muito emocionante. Os médicos poderão logo ser capazes de diagnosticar a DFT de forma rápida e fácil com esse procedimento não invasivo. Essa doença infelizmente não pode ser curada, mas pode ser administrada – especialmente se for diagnosticada precocemente", disse Barbara.Ansa

EUA CIÊNCIA

Universidade dos EUA desenvolve opiáceos impossíveis de serem desmanchados

O professor Hossein Omidian, que comanda a pesquisa na faculdade de Farmácia da Universidade Nova Southeastern (NSU) de Fort Lauderdale, contou à Agência Efe que o segredo está no uso de polímeros que evitam a liberação dos compostos ativos do medicamento para usos indevidos. EFE/Nova Southeastern University

Preocupados com o aumento do vício em opiáceos e as mortes por overdose nos Estados Unidos, cientistas de uma universidade da Flórida estão desenvolvendo pastilhas impossíveis de desmanchar, para que o medicamento não possa ser inalado, injetado ou misturado.

O professor Hossein Omidian, que comanda a pesquisa na faculdade de Farmácia da Universidade Nova Southeastern (NSU) de Fort Lauderdale, contou à Agência Efe que o segredo está no uso de polímeros que evitam a liberação dos compostos ativos do medicamento para usos indevidos.

"Devido à presença dos polímeros dissuasivos, orgânicos e inorgânicos (dissuasivos coletivos), o ingrediente ativo (fármaco) permanecerá preso se o tablete for manipulado para inalar ou injetar", explicou Omidian.

No entanto, este engenheiro químico formado pelo Instituto Politécnico de Teerã (Irã) disse que a substância ativa será liberada se o comprimido for tomado como é recomendado pelo médico, por via oral.

"A ideia é utilizar estas tecnologias em fórmulas de opiáceos para minimizar as possibilidades de abuso tanto por inalação como por injeção", explicou Omidian.

A Flórida é um dos estados do país mais afetados pela crise derivada do consumo de analgésicos opiáceos como o fentanil, que é muito mais potente do que a heroína.

Desde 2010 Omidian começou a desenvolver as chamadas Fórmulas para Dissuadir o Abuso (ADF, em inglês) para fazer os dependentes desistirem de se injetar ou inalar opiáceos, e geralmente os remédios de prescrição.

Omidian, no entanto, disse que esta inovação pode ser usada em qualquer fármaco receitado ou outro agente ativo que seja suscetível de ser usado de outra maneira que não seja a sua ingestão.

Geralmente, a NSU objetiva projetar tabletes que podem resistir a força de esmagamento ou interagir inteligentemente com água e álcool a diferentes temperaturas com o uso de um ou mais polímeros que fazem com que a composição fique mole ou dura e, portanto, não rompível, ou que fazem com que resista a extração com solvente.

Desta forma impede que seja desmanchado, tornando-o ou muito duro ou uma espécie de chiclete.O professor de Farmácia explicou que o "segredo" são várias tecnologias "que, combinadas, teriam um grande potencial para dissuadir o abuso de medicamentos receitados".

Segundo a Universidade, são "urgentes" as soluções modernas que podem evitar um alto uso de medicamentos receitados, levando em conta que os viciados usualmente manipulam produtos de drogas para acelerar a sua absorção e melhorar o seu efeito.

Nos EUA, as mortes por overdose superaram em 2016 a casa de 33 mil e aumentaram 137% desde 2000. O aumento é de 200% se só forem levadas em conta as provocadas por opiáceos, de acordo com o Human Rights Watch.

Segundo Omidian, as tecnologias de NSU têm "um grande potencial" para frear o alto uso dos medicamentos.

No entanto, ele destacou que, como ocorre com outras inovações, será necessário obter dados após sua comercialização em formulações de opiáceos para saber se as pílulas são eficazes para o propósito buscado.

"Esperamos que os fabricantes de opiáceos ou novas empresas adquiram logo licenças para usar esta tecnologia nas suas respectivas formulações após realizar breves estudos bioequivalentes", explicou Omidian.

"As tecnologias que desenvolvemos não são fundamentalmente diferentes, mas suficientemente inovadoras para poder patenteá-las", explicou.

O pesquisador disse que a universidade já apresentou algumas solicitações de patente sobre estas tecnologias.

O governador da Flórida, Rick Scott, assinou no dia 11 de julho uma lei que reforça os castigos e cria outros novos para delitos relacionados com as drogas sintéticas a base de opiáceos e em maio declarou emergência pública de saúde para tentar combater esta crise.

Na Flórida, pelo menos 8.336 pessoas morreram de overdose desde 2013 a 2015, e nesse último ano se deu um aumento de 22%, um dos mais altos do país.

Em junho deste ano, um menino de apenas dez anos morreu em Miami aparentemente de uma overdose de fentanil, sem que se saibam ainda as circunstâncias de sua exposição a esse potente analgésico.EFE

VIVENDO NO BRASIL

MEDIDA INÉDITA - Empresa dos EUA implanta microchips em funcionários

O microchip é implantado por baixo da pele entre o polegar e o indicador (Foto: Pixabay)

Uma empresa de tecnologia em Wisconsin, EUA, anunciou esta semana que será a primeira nos Estados Unidos a implantar microchips em seus funcionários.

A Three Square Market disse que o sistema começa a funcionar no dia 1° de agosto, mas ressaltou que a adesão é opcional. Espera-se que mais de 50 pessoas participem do programa. Os microchips vão permitir que as pessoas paguem por sua comida e bebida no escritório, abram portas, façam login no computador e usem a fotocopiadora.

O microchip é implantado por baixo da pele entre o polegar e o indicador. A tecnologia usada é o NFC, a mesma que permite pagamentos por aproximação de cartão ou celular.

Cada vez mais a tecnologia aliada aos sistemas biométricos está sendo usada para facilitar a vida das pessoas. A tendência, no entanto, levanta dúvidas sobre segurança e privacidade.Independent

TENSÕES EM JERUSALÉM

Israel quer expulsar Al Jazeera do país

'A emissora Al-Jazeera continua incitando à violência', disse Netanyahu (Foto: kremlin.ru)

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse na quarta-feira, 26, que quer expulsar do país a emissora Al Jazeera, que tem sede no Catar e é a maior emissora do mundo árabe. Netanyahu acusa a rede de ter incitado a violência em uma série de protestos envolvendo a Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém.

“A emissora Al Jazeera continua incitando à violência. Apelei várias vezes às agências de aplicação da lei para fechar o escritório da Al Jazeera em Jerusalém. Se isso não for possível por questões legais, então vou procurar que adotem a legislação necessária para expulsar a Al Jazeera de Israel”, disse o primeiro-ministro, em sua página no Facebook.

Jerusalém tem vivido um dos períodos mais tensos dos últimos anos após palestinos protestarem contra as medidas de segurança impostas pelo governo israelense nas entradas da Esplanada das Mesquitas (conhecida como Monte do Templo pelos judeus), um dos lugares mais sagrados da cidade. Os protestos têm terminado em conflitos com a polícia e recentemente resultaram na morte de três israelenses e quatro palestinos.

A série de conflitos na última sexta-feira, 21, e no sábado, 22, tem provocado preocupação internacional e os eventos têm sido amplamente reportados pela Al Jazeera. A emissora catari ainda não comentou as declarações de Netanyahu.

O anuncio de Netanyahu vem na esteira do atual cerceamento à atuação da Al Jazeera promovido por países do Golfo Pérsico aliados da Arábia Saudita, que recentemente romperam relações com o Catar. Os países também acusam a emissora de incitar a violência e o terrorismo no Oriente Médio e pedem, entre outras coisas, seu fechamento para que possam retomar relações com o governo catari.

Tensões em Israel

Os episódios de tensão em Jerusalém giram em torno da decisão do governo israelense de reforçar a segurança na Esplanada das Mesquitas após um ataque no último dia 14, que matou dois policiais. Além de câmeras de segurança, foram instalados detectores de metal no local.

Há dois dias o governo removeu os detectores de metal e segue retirando os equipamentos de segurança. No entanto, as autoridades muçulmanas de Jerusalém pediram para que os fieis continuem o boicote. O Waqf, organismo que administra os bens muçulmanos na Jerusalém Oriental, disse que condena qualquer medida tecnológica no local sagrado e que os portões de acesso “devem ser abertos a adoradores muçulmanos de maneira completamente livre para garantir a liberdade de culto”.Folha de S. Paulo

CHINA ANIMAIS

Vídeo de supostos maus-tratos a pandas em zoo gera polêmica na China

EFE/ Clemens Bilan/ Arquivo

Imagens vazadas que mostram cuidadores empurrando violentamente e jogando pandas no chão se espalharam nas redes sociais da China, o que gerou fortes críticas e obrigou o zoo a investigar o caso.

No vídeo, dois profissionais arremessam os animais com força no chão e os empurram em um dos espaços da Base de Pesquisa e Criação de Panda de Chengdu, no sudoeste do país, a principal reserva destes animais, que são considerados um verdadeiro símbolo nacional. A publicação dos vídeos em redes sociais chinesas, como Weibo (equivalente ao Twitter), gerou milhares de críticas, o que levou a reserva a interrogar os cuidadores, revelou a imprensa oficial chinesa nesta sexta-feira.

Os protagonistas alegaram que um dos pandas se comportou violentamente quando eles tentaram alimentar os filhotes e, por isso, eles agiram em legítima defesa.

"Ele mordeu a minha mão e começou a sangrar. Quando tentou me morder outra vez, eu o empurrei instintivamente. Quando (os pandas) estão contentes atuam com normalmente, mas se percebem algum estímulo externo podem reagir de forma bastante violenta", contou o cuidador, Guo Jingpeng, em declarações divulgadas pela agência "Xinhua".

Wu Kongju, especialista da reserva, afirmou que, às vezes, os pandas podem sim reações muito exageradas.

"Ainda que parecem animais calmos, são bastante fortes e podem ser violentos", afirmou.

Apesar das explicações, a reserva pediu que os cuidadores sejam mais cautelosos na hora de responder os animais, já que, por vezes, eles simplesmente querem brincar.

A China, único hábitat natural de pandas, tem 2.100 exemplares, sendo que 1.800 vivem em liberdade.

Em setembro de 2016, a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) retirou o panda da lista de espécies em risco de extinção para cataloga-lo como espécie "vulnerável".EFE

HOLANDA DROGAS

Nova legislação provoca fechamento de emblemáticos "coffeeshops" na Holanda

EFE/Marcel Antonisse

Os míticos "coffeeshops" holandeses perdem espaço ano após ano na Holanda, e especialmente em Amsterdã, onde estas cafeterias de venda regulada de cannabis estão encurraladas por uma nova legislação.

Em um recente relatório, o Ministério de Segurança confirmou que restam apenas 570 "coffeeshops" em todo o país, em relação aos 1.400 que funcionavam em meados da década de 1990.

Do total, 400 localizavam-se então em Amsterdã e os demais espalhados pelas 12 províncias holandesas. Atualmente, a capital turística dos "coffeeshops" conta com 167 lojas abertas.

No ano passado, dez "coffeeshops" tiveram que fechar devido à insegurança após vários tiroteios em suas portas.

"Esses tiroteios estão pondo em risco a segurança e a ordem pública", afirmou então o prefeito de Amsterdã, Eberhard van der Laan, que advertiu a todos os proprietários que não iria "tolerar" mais incidentes.

A polícia ainda investiga os tiroteios, e tem como principal hipótese a luta entre proprietários para desestabilizar a concorrência.

As autoridades locais são responsáveis por conceder as licenças e impor as normas, ainda que haja uma regulamentação estadual sobre a localização e o funcionamento deste tipo de estabelecimento.

Em janeiro deste ano, entrou em vigor uma nova lei que proíbe os "coffeeshops" de estarem a menos de 250 metros de escolas e centros educativos, o que afetou cerca de 20 cafeterias em Amsterdã.

Um deles foi o Mellow Yellow, o "coffeeshop" mais antigo do mundo, que teve que fechar por estar a cerca de 220 metros de uma escola.
Outros 30 "coffeeshops" tiveram que fechar, segundo o relatório, por conta de uma campanha da Câmara Municipal de Amsterdã para depurar as zonas mais problemáticas do Bairro da Luz Vermelha, que também causou o fechamento de cem vitrines de prostituição.

"Ao invés de facilitar as coisas e se preocupar com vendas ilegais, buscam (o governo) buscam a proibição. A única coisa que isso vai trazer são mais problemas e mais traficantes às ruas. Isso é o que querem?", disse nesta sexta-feira à Agência Efe Mark, holandês de 45 anos e dono de um pequeno "coffeeshop" próximo ao bairro.

O proprietário acrescentou que os Países Baixos já têm "muitos problemas com a venda ilegal das drogas" e pediu ao governo para se preocupar com questões como a legalização da plantação de cannabis, ainda em debate no Senado.

Vários garçons confirmaram que o número de "coffeeshops" na cidade está diminuindo cada vez mais, o que significa que os que restam não conseguem atender a demanda de todos os clientes.

Além disso, os estabelecimentos precisam respeitar os limites de venda impostos pela lei, outro dos motivos por trás das dezenas de fechamentos: atualmente as cafeterias podem armazenar até 500 gramas de maconha, enquanto antes de 2000 podiam ter até 1.500 gramas.

Isto faz com que os "coffeeshops" tenham um teto de lucros e alguns consideram que não compensa continuar funcionando porque não têm como atender todos os clientes.

Apesar dos fechamentos, a capital holandesa segue sendo o município com mais "coffeeshops" por habitante: um para cada 4.900 residentes, acima da média de todo o país, de uma loja para cada 32.670 habitantes.

Segundo os números do escritório de turismo da Holanda, 25% dos turistas que chega a Amsterdã vem com a intenção de visitar um "coffeeshop".

Ainda que o endurecimento das leis tenha como objetivo a redução do turismo das drogas, o medo agora das autoridades e dos investigadores é a volta às ruas do tráfico ilegal para suprir a crescente demanda.EFE

NAVIO NAZISTA

Navio nazista que saiu do Brasil é encontrado

Navio, identificado pela marinha britânica, foi afundado por ordens de Adolf Hitler / Nikolaus Stürzl/Wikimedia Commons

Um navio nazista que supostamente carregava ouro brasileiro foi encontrado por uma empresa especializada em recuperar embarcações perto do litoral da Islândia, informou a mídia britânica.

O SS Minden afundou em setembro de 1939, há quase 80 anos, e foi identificado a 190 km de distância da costa islandesa. Quem encontrou o navio foi a empresa britânica Advanced Marine Services.

Acredita-se que o navio estaria carregado com quatro toneladas de ouro, em uma carga estimada em cerca de 110 milhões de euros (corrigido nos valores atuais). O ouro havia sido retirado de uma filial no Brasil do banco alemão Dresden.

No contexto histórico, o SS Minden saiu do Brasil rumo a Alemanha, mas quando estava próximo da Europa, o navio foi identificado pela marinha britânica. Adolf Hitler então ordenou ao capitão que afundasse o navio para não permitir que a carga foi descoberta.

A empresa Advanced Marine Services ainda não confirmou a presença de ouro na embarcação, já que não tiveram autorização do governo islandês para permanecer nas águas da região para conduzir as pesquisas. Caso realmente for encontrado ouro no navio, uma batalha judicial envolvendo a Islândia deverá acontecer para determinar quem ficará com a valiosa carga.Ansa

sexta-feira, 28 de julho de 2017

HAPPY HOUR


PENSAMENTO DA SEXTA



NOSSO SOM






NO PARÁ DO AÇAÍ - SUSPEITO

VOCÊ VIU ESTE HOMEM?....Disque-Denúncia 181 | SEGUP - Secretaria de Estado de Segurança ...

O retrato falado do suspeito de matar com vários tiros o prefeito Jones Wiliams

ELE É SUSPEITO DE MATAR O PREFEITO DE TUCURUÍ

VIVENDO NO BRASIL 1

ORÇAMENTO - Corte orçamentário adicional vai atingir três ministérios

O governo precisa divulgar até o fim do mês a programação orçamentária (Foto: Pixabay)

Nesta quinta-feira, 27, o governo deve anunciar um corte adicional no Orçamento, que deve atingir mais fortemente três ministérios: Integração, Cidades e Transportes. A informação é do jornal Estado de S. Paulo.

A meta fiscal atual prevê um déficit de, no máximo, R$ 139 bilhões. Na última quarta-feira, 26, o Tesouro Nacional divulgou seus resultados, revelando um quadro preocupante. Até junho, o déficit acumulado em 12 meses atingiu a marca de R$ 182,8 bilhões, o que representa um déficit de R$ 43,8 bilhões a mais que a meta de 2017. Segundo economistas, como a meta pode estourar em R$ 20 bilhões, o governo vai precisar adotar uma postura ainda mais dura para não ter que pedir autorização ao Congresso para aumentar o déficit.

Como a Petrobras anunciou que aderiu ao Refis e vai pagar à vista R$ 1,3 bilhão neste ano de uma dívida que está sendo renegociada, o corte adicional pode ficar menor. Ele está programado em R$ R$ 5,9 bilhões. No entanto, mesmo que diminua, o valor ainda é insuficiente para impedir que haja novo aperto nas contas. O corte atualmente em vigor é de R$ 39 bilhões.

Seguindo conselhos, Temer também vai autorizar o adiamento do reajuste de várias categorias de servidores em 2018. O governo precisa divulgar até o fim do mês a programação orçamentária.

O Ministério da Integração é responsável pela obra de transposição do Rio São Francisco; o das Cidades, pelo Minha Casa Minha Vida; e o dos Transportes, pelas concessões de rodovias, portos, aeroportos e ferrovias à iniciativa privada.Estadão

MANOBRAS NA LEI

Pequena história da lei como luva, ou como bigorna


A história da profunda crise política em que o Brasil foi colocado em função, para usar a expressão ou a justificativa de um dos seus principais protagonistas, do “governo de coalizão” – ou dos sucessivos esfacelamentos dela – tem como substrato uma crise econômica não menos arraigada, mas tem também, como adereço, e mesmo como uma espécie de alegoria do cenário político-econômico caótico, uma pequena história da criação de leis, manobras de regimentos, invenção de novas regras sob medida para abarcar em novíssimas jurisprudências, por assim dizer, não apenas aquele, mas sim todos os demais protagonistas deste infausto período da nossa história republicana, seja para cair-lhes como uma luva, vindo-lhes muito bem a calhar, seja para lhes acertar o cocuruto como uma bigorna em queda livre, com endereço mais que certo.

O mais recente capítulo desta pequena mas ilustrativa história é a articulação entre parlamentares do Partido dos Trabalhadores para tentar emplacar, no Congresso Nacional, a já assim apelidada “Emenda Lula”, que intenta barrar, por força de lei, a prisão de candidatos até oito meses antes de qualquer processo eleitoral, mas com vistas sobre um processo eleitoral bastante específico, o de 2018, porque paira sobre a candidatura de Lula a possibilidade de sua prisão, e seu automático enquadramento na categoria de político “ficha-suja”, por corrupção e lavagem de dinheiro, em caso de confirmação da sentença de Sergio Moro pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), cujo histórico, por sua vez, é o da confirmação das decisões de Moro em se tratando de Lava-Jato.

Por outro lado, e no entendimento de um dos lados das frações político-partidárias em luta fratricida no Brasil, também poderia receber a alcunha de “Emenda Lula”, mas aqui sob a perspectiva da bigorna, e não da luva, a decisão do Supremo Tribunal Federal, tomada em novembro do ano passado, que relativizou, e muito, o princípio do trânsito em julgado, estabelecendo que pessoas, no plural, condenadas em processos criminais na segunda instância da Justiça podem ser obrigadas a iniciar o cumprimento da pena.

Naquela feita, e já esperando o desfecho de fato previsível do caso Triplex na 13ª Vara Federal em Curitiba, os que abraçam a ideia de que o processo contra Lula se desenrolava mais político do que jurídico (a tese da perseguição jurídica, ou, pelo termo técnico, lawfare) afirmavam que aquela decisão do Supremo era mais uma alteração da lei que tinha endereço certo, o de uma pessoa, no singular, ainda que os mais de 40% dos presos do Brasil que amargam o nosso xadrez de infaustos padrões sem qualquer condenação judicial adorassem ter a sorte de ver seu caso chegar a instâncias quaisquer, qualquer uma que lhes garantisse um julgamento justo.

Mas o que uniu mesmo quase a totalidade das frações político-partidárias brasileiras em meio à crise sem fim, e como uma espécie de grande luva tamanho único, foi a aprovação no Senado Federal da chamada “Lei de Abuso de Autoridade”, a fim de amaciar-lhes o peso da bigorna da Lava-Jato. Ou, como afirmou há poucos dias a futura procuradora-geral da República indicada por Michel Temer, tentando por as coisas em termos republicanos: “A lei de abuso de autoridade vem no socorro da ideia de que, no regime democrático, freios e contrapesos são necessários, controles são necessários, inclusive sobre os órgãos de administração de Justiça”.

Antes de tudo isso, antes mesmo de o próprio TRF-4 ter posto toda essa pequena história de luvas e bigornas em termos sintéticos e curitibanos, por assim dizer, ao pronunciar-se, sobre a Lava-Jato, dizendo que “situações excepcionais exigem medidas excepcionais” (palavra de ordem que os promotores da “Emenda Lula” podem acabar, agora, tomando para si), muito antes disso, Ricardo Lewandowski e Renan Calheiros já manejavam as regras do jogo para que se evitasse uma situação de “além da queda, coice”, resultando na aprovação de um impeachment (por “pedaladas fiscais” e créditos suplementares. Quem se lembra deles?) sem cassação de direitos políticos, naquele curioso 31 de agosto de 2016, dia em que, caso raro, uma bigorna caiu como uma luva.Por Hugo Souza

COMPORTAMENTO


SOBRE NOSSOS ENCANTOS E DESENCANTOS...AMORES PARA SEMPRE

Hoje vasculhando um passado que se perdeu no tempo por alguém que não era eu, descobri em um dos muitos registrado na parede da memória, algo que me chamou a atenção. Não foi o acaso, tão pouco a curiosidade, foi tipo assim, ti encontrei. Cuidadosamente, fui limpando, tirando a poeira dos dias idos, e de repente,como num passe de mágica, uma bandeja cheinha de coisas que outrora, não dava muito valor se fez presente. Tinha tudo que um ser humano poderia desejar, no entanto, exitante, pensava, amanhã. ...... Hoje percebo os desperdícios. Éramos felizes e não sabíamos.




OPERAÇÃO LAVA JATO

PF prende ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil

Prisão de Bendine tem como base a delação de Marcelo Odebrecht (Foto: EBC)

O ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras Aldemir Bendine foi preso na manhã desta quinta-feira, 27, na 42ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal (PF) no Distrito Federal, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo.

Batizada de Cobra, a fase da operação tem como base o depoimento de delação feito por Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, que afirmaram que Bendine solicitou e recebeu R$ 3 milhões para auxiliar a empreiteira em negócios com a Petrobras.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), há evidências indicando que, numa primeira oportunidade, um pedido de propina no valor de R$ 17 milhões foi realizado por Aldemir Bedine à época em que era presidente do Banco do Brasil, para viabilizar a rolagem de dívida de um financiamento da Odebrecht AgroIndustrial.

Além de Bendine, que foi preso em Sorocaba, foram presos o publicitário André Gustavo Vieira da Silva, que é representante de Bendine, e Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior. Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Além dos três mandados de prisão temporária, a PF também cumpre outros 11 mandados de busca e apreensão. A prisão temporária tem prazo de cinco dias e pode ser prorrogada pelo mesmo ou convertida para preventiva, quando o investigado não tem prazo para deixar a prisão.G1

MEIO AMBIENTE

Mudanças climáticas podem impedir que linhas aéreas usem aviões lotados

As mudanças climáticas podem ter um impacto dramático na aviação ao redor do mundo (Foto: Pixabay)

Neste verão, os Estados Unidos experimentaram uma das mais intensas ondas de calor em décadas. A temperatura chegou a 48°C no Arizona. No mês passado, um único dia fez com que vários aviões não pudessem levantar voo. Com as temperaturas globais aumentando, incidentes como este podem passar a ser comuns.

As mudanças climáticas podem ter um impacto dramático na aviação ao redor do mundo, segundo uma pesquisa da Universidade Columbia e da firma de consultoria Logistics Management Institute. Os pesquisadores previram que até o meio do século, cerca de 30% dos voos que decolam nas horas mais quentes do dia não vão conseguir levantar voo com seu peso máximo por causa do calor. Quanto mais quente, menos denso o ar fica. Dessa forma, pode não haver empuxo suficiente para o avião levantar voo com sua carga máxima.

Dos 19 aeroportos examinados, Dubai e LaGuardia, em Nova York, são os esperados para sofrerem as piores consequências. Segundo a pesquisa, as linhas aéreas vão ter que cortar, em média, 4% dos passageiros ou da carga de seus aviões nas horas mais quentes do dia.

As linhas aéreas não estão completamente perdidas. Um dos autores da pesquisa, Radley Horton, diz que as empresas podem tomar medidas para suavizar o problema, como aprimorar o desempenho do motor e agendar voos para as horas mais frias do dia. No entanto, a pesquisa é apenas mais uma a dizer que as mudanças climáticas serão um grande problema para as linhas aéreas.

Horton estima que o setor da aviação seja responsável por aproximadamente 2-4% das emissões emitidas pelos humanos. Talvez, por isso, as empresas comecem a cortar conscientemente o número de viagens a negócio para diminuir suas pegadas ecológicas, como é chamado o impacto que ações de pessoas ou empresas causam no meio ambiente.The Economist

NO PARÁ DO AÇAÍ - JULHO 11



VIVENDO NO BRASIL 2

FORÇAS ARMADAS

Canadá convida transgêneros a se alistarem após proibição americana

Além da mensagem de incentivo, também havia uma foto da Banda da Marinha Real Canadense desfilando na Parada Gay (Foto: Twitter/Canadian Forces)

Na última quarta-feira, 26, logo após o polêmico tuíte de Donald Trump sobre a proibição de transgêneros nas Forças Armadas, o vizinho canadense usou o mesmo canal para incentivar a entrada de transgêneros no serviço militar.

“Damos as boas-vindas aos canadenses de todas as orientações sexuais e identidades de gênero. Juntem-se a nós!”, dizia a conta oficial das Forças Armadas do Canadá no Twitter.

Além da mensagem de incentivo, também havia uma foto da Banda da Marinha Real Canadense desfilando em uma das comemorações do Dia do Orgulho Gay, em Toronto, e um link de oportunidades de trabalho no exército do país.

Estima-se que 200 transgêneros trabalhem nas Forças Armadas do Canadá. Entre 2008 e 2015, o Departamento de Defesa canadense gastou cerca de US$ 250 mil com operações de mudanças de sexo.

Na polêmica mensagem de Trump, não ficou claro quando a medida vai entrar em vigor nem o que vai acontecer com os transgêneros que já atuam nas Forças Armadas americanas. A proibição reverte a política de inclusão, adotada em 2016 pelo então presidente Barack Obama.Estadão

ECONOMIA - FMI prevê crescimento de 0,3% na economia brasileira

O relatório ressaltou como ponto positivo a 'forte queda' da inflação (Foto: Pixabay)

Na segunda-feira, 24, o Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou o relatório de atualização de projeções durante evento em Kuala Lampur, na Malásia. Segundo as projeções do órgão, a economia brasileira deve crescer 0,3% este ano, um dos menores percentuais entre os principais mercados do mundo.

Em abril, o relatório “Perspectivas da Economia Mundial” previa que em 2018 a expansão seria de 1,7%. Agora esta projeção foi diminuída para 1,3%, por conta da crise política e da fraca demanda doméstica. Em compensação, a estimativa para 2017 subiu de 0,2%, no relatório de abril, para 0,3%, no relatório deste mês, já que os números do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre surpreenderam positivamente.

O relatório ressaltou como ponto positivo a “forte queda” da inflação. Além disso, apesar da desvalorização do real após a delação da JBS, os fluxos de capital internacional continuam aportando no Brasil e em outros mercados emergentes.

O FMI também destacou que o fim da recessão no Brasil e na Argentina deve ajudar a América Latina a registrar crescimento positivo. Em 2016, houve uma contração de 1% na região. Agora, a expectativa é que o PIB da região, em 2017, cresça 1% e que, em 2018, cresça 1,9%.

Efeitos do Brexit afetam Reino Unido

No panorama global, uma nação que merece destaque é o Reino Unido. A economia do país cresceu apenas 0,2% no primeiro trimestre de 2017. Este foi o crescimento mais lento de economia avançada do mundo.

Diante dos fracos resultados dos últimos meses, o FMI diminuiu a projeção econômica do país para este ano. A previsão de crescimento, que era de 2%, agora passou para 1,7%. Aparentemente, a saída do Reino Unido da União Europeia já indica resultados negativos.Agência Brasil

FAB - Força Aérea Brasileira

Transporte de órgãos dispara após FAB manter aeronave à disposição

Aviões da Força Aérea também podem ajudar no deslocamento de equipe médica / Divulgação/FAB

O número de órgãos humanos transportados pela Força Aérea Brasileira (FAB) subiu mais de 2.000% desde o decreto que obriga a entidade a manter sempre uma aeronave à disposição para o traslado. A medida foi assinada pelo presidente Michel Temer (PMDB) em junho de 2016.

O índice passou de apenas três entre janeiro e março do ano passado para 66 no primeiro trimestre de 2017, uma alta de 2.100%. Os principais destinos dos órgãos foram Distrito Federal, Pernambuco e São Paulo e nos três primeiros meses deste ano, a FAB transportou, entre outros, 30 fígados, 20 corações e 10 rins.

A secretária de Atenção à Saúde, Maria Inez Gadelha, responsável pelo Sistema Nacional de Transplantes, explica que a Força Aérea Brasileira tem um papel muito importante, sobretudo, em casos de urgência.

Maria Inez esclarece que alguns órgãos precisam ser transportados em um curto espaço de tempo. “Principalmente nos casos daqueles órgãos que se deterioram rapidamente. O coração, por exemplo, tem um tempo de isquemia de quatro horas”, afirma.

A secretária deixa claro que, em regiões mais distantes, não só os órgãos são transportados, mas também as equipes que fazem a retirada. Ela explica que as empresas aéreas também têm um papel relevante no transporte de órgãos no Brasil, segundo Maria Gadelha.

“A maior parte dos transporte se dá pelas empresas aéreas. É um trabalho muito bonito, gratuito e que tem um atendimento de primeiríssima responsabilidade e compromisso”, diz. Entre janeiro a março, as empresas aéreas transportaram 330 órgãos.

Atualmente, o Brasil tem o maior sistema público de transplante de órgãos.BandNews

VIVENDO NO BRASIL 3

PORTUGAL CORRUPÇÃO

José Sócrates diz que processo foi para evitar sua candidatura a presidente

José Sócrates em foto de 2015. EFE/EPA/Pedro Nunes

O ex-primeiro ministro português José Sócrates afirmou nesta quarta-feira que o processo judicial em que está envolvido por corrupção responde a uma campanha orquestrada pela direita para evitar que ele se candidatasse à presidência da república.

"O objetivo foi impedir que me apresentasse a presidente", afirmou ele, que precisou que o Ministério Público foi instrumentalizado para "um objetivo político".

Em encontro com jornalistas estrangeiros em Lisboa, o ex-primeiro ministro lembrou que o processo na Justiça começou há quatro anos, quando "a direita estava convencida" de que ele iria tentar se candidatar.

"Não pensava em me apresentar, eles pensavam, a direita", defendeu, antes de dizer que sempre achou que o agora secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, é quem se apresentaria.

Segundo Sócrates, que passou quase dez meses em prisão preventiva pela causa na qual ainda não foi apresentada acusação formal, quando alguém é preso "sem provas, fatos ou indícios", é possível dizer que há suspeitas de que a Justiça está sendo manipulada com "objetivo político".

Ele disse que continua tendo os mesmos amigos e que não se sente sozinho.

"Me sinto acompanhado pelos militantes do Partido Socialista", disse, antes de qualificar de "irrelevante" o que a direção do partido pensa e afirmar que irá recorrer a tribunais internacionais, uma vez que as vias internas tenham se esgotado.

Quatro anos depois que de o caso ser aberto e mais de dois anos e meio depois da sua detenção, o Ministério Público ainda não emitiu a acusação formal e adiou em várias ocasiões a conclusão da investigação.

O ex-primeiro ministro socialista foi detido em novembro de 2014 no Aeroporto de Lisboa por suspeitas de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude fiscal.

Documentos divulgados pela imprensa apontam que o ex-primeiro ministro, que esteve à frente do governo entre 2005 e 2011, era dono de uma fortuna de 20 milhões de euros escondidos em uma complexa trama de contas bancárias no exterior, com a ajuda de testas de ferro.EFE

DROGAS SINTÉTICAS

Captagon: a droga que ameaça o Golfo Pérsico

Como outros estimulantes, o captagon inibe a dor e a sensação de medo (Foto: Flickr/Guian Bolisay)

O captagon, fabricado à base de anfetaminas, é uma das drogas mais consumidas no Oriente Médio. Em julho, guardas de fronteira da Arábia Saudita prenderam um sudanês vindo da Jordânia, que tentava entrar no país com uma carga de mais de meio milhão de comprimidos de captagon nas costas de um camelo. O captagon (fenetilina) foi fabricado para o tratamento do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Como outros estimulantes, inibe a dor e a sensação de medo, provoca um estado de euforia e reduz o apetite. Em 1981, os Estados Unidos proibiram sua venda. Logo, outros países seguiram seu exemplo.

O mercado no Oriente Médio é enorme. De acordo com o último Relatório Mundial sobre Drogas da ONU, em 2015, as autoridades sauditas apreenderam mais de 11 toneladas de estimulantes do grupo da anfetamina (ATS), inclusive ecstasy. Essa quantidade foi menor do que em 2014, mas ainda representa quase um terço do consumo de anfetaminas nos EUA, com uma população dez vezes maior.

Em outros lugares da região do Golfo Pérsico, a demanda está aumentando. Em março, o diretor-geral do Departamento Antinarcóticos dos Emirados Árabes Unidos, coronel Saeed al-Suwaidi, disse que os agentes de combate ao narcotráfico tinham apreendido uma quantidade quase quatro vezes maior de comprimidos de captagon e de metanfetamina no ano passado.

É difícil descobrir a origem das drogas sintéticas. Devastada pela guerra a Síria transformou-se em uma importante fonte. Mas uma pesquisa realizada em 2015 pelo Instituto para Estudos do Oriente Médio da Universidade George Washington revelou que o Hezbollah, uma organização política e paramilitar apoiada pelo Irã, era o único grupo envolvido sistematicamente na produção da droga.

O Alcorão proíbe o consumo de drogas. Então, por que o captagon se tornou tão popular em alguns países do Oriente Médio? Os usuários incluem frequentadores de festas, pessoas que tomam a droga para diminuir o apetite, estudantes e motoristas de caminhão e de táxi que querem ficar acordados por mais tempo. Justin Thomas, professor de psicologia na Universidade de Zayed em Abu Dhabi, disse que muitos usuários acreditam, ou fingem acreditar, que é um medicamento e, assim, não se sentem culpados em fazer algo proibido pelo Alcorão.
The Economist

R.UNIDO POLUIÇÃO

Reino Unido proibirá novos veículos a gasolina e diesel a partir de 2040

EFE/Andy Rain

O governo do Reino Unido anunciou na quarta-feira 26,que a partir do ano de 2040, os novos veículos e caminhonetes movidos a diesel e gasolina estarão proibidos, com a intenção de combater a poluição.

A medida, que foi antecipada hoje pelo ministro de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais, Michael Gove, vem motivada por uma batalha legal após a qual a Justiça britânica determinou que o Executivo, liderado pela conservadora Theresa May, estabelecesse um plano para reduzir os altos níveis de poluição atmosférica.

"Não podemos continuar com os carros a diesel e gasolina, não só pelos problemas de saúde que eles causam, mas também porque suas emissões significariam uma aceleração da mudança climática. Causaríamos dano ao nosso planeta e às próximas gerações", disse Gove a uma emissora de rádio da rede "BBC".

A regulamentação, que entrará em vigor a partir de 2040, faz parte do orçamento de 255 milhões de libras (252 milhões de euros) que o governo destinará para ajudar os conselhos locais a combater a poluição gerada por esses veículos, de um total de 3 bilhões de libras (3,362 bilhões de euros) que serão destinados a medidas para melhorar a qualidade do ar.

Assim como a França, que anunciou planos similares, a proibição dos veículos a gasolina e diesel acontece, segundo Gove, em um momento no qual "os sinais de mudança para veículos elétricos estão cada vez maiores".

O ministro explicou que os recursos destinados às autoridades locais servirão para "elaborar planos adequados para fazer frente a alguns dos desafios particulares que enfrentam".

"Esses planos poderiam incluir tudo, desde a mudança da frota de ônibus - a remodelação dos ônibus para que já não emitam alguns desses gases nocivos - e poderiam incluir, em áreas específicas, restrições particulares aos motoristas", observou o ministro.

Gove falou do plano do prefeito de Londres, o trabalhista Sadiq Khan, de introduzir novas taxas para os cidadãos que circularem com esses veículos poluentes.

"Não acredito que seja algo necessário, mas trabalharemos com as autoridades locais para determinar qual é o melhor enfoque para enfrentar o problema", opinou Gove.EFE

GUERRA NA SÍRIA

Trump encerra apoio dos EUA a rebeldes contra Assad

O anúncio do fim do programa nunca foi feito publicamente assim como o do seu início, já que era secreto (Foto: Flickr/Gage Skidmore)

O presidente Donald Trump encerrou o programa secreto dos EUA que fornecia armas e suprimentos a grupos rebeldes sírios. Para a Casa Branca, a medida, adotada durante o governo de Barack Obama, não estava valendo a pena, por isso o governo desistiu de ajudar a derrubar o governo de Bashar al-Assad. A decisão ocorreu há mais de um mês, segundo o New York Times.

O anúncio do fim do programa nunca foi feito publicamente, assim como o do seu início, já que era secreto. As notícias sobre o programa, entretanto, logo vazaram.

O programa se soma a outros esforços similares que falharam ao longo do tempo, quando Washington quis derrubar governos que considerava nocivos. O mais famoso foi o do governo Kennedy que tentou derrubar, sem sucesso, Fidel Castro, em Cuba.

A decisão é vista com bons olhos pelos russos, que apoiam Assad, e que acabavam atacando, sob pretexto de ajudar a erradicar o terrorismo, grupos rebeldes apoiados pelos EUA.

Em abril, o governo Trump disse que tirar Assar do poder já não era uma prioridade. Em vez disso, os Estados Unidos e a Rússia têm discutido zonas de cessar-fogo no país.

Quando o programa secreto começou, o objetivo inicial era forçar o Assad a negociar. O Secretário de Estado americano da época, John Kerry, no entanto, achava que Obama não estava disposto a fornecer a pressão militar necessária para reforçar a diplomacia. Obama, por sua vez, temia entrar em outra guerra do Oriente Médio cujo resultado ele não poderia controlar nem prever.

Quando os russos aumentaram sua presença na Síria, o programa foi perdendo ainda mais relevância, o que ajudou Assad a consolidar territórios. O fim do programa secreto, contudo, não vai afetar a luta contra os jihadistas do Estado Islâmico.The New York Times

quarta-feira, 26 de julho de 2017

MENSAGEM DO DIA

NO PARÁ DO AÇAÍ - JULHO 10

Salinas - Pará

LEVANTAMENTO - Temer liberou R$ 2,1 bilhões em julho para barrar denúncia

Do total liberado em emendas em 2017, mais de 82% foi para deputados federais (Foto: ABr)

Os gastos do presidente Michel Temer para barrar a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra ele por corrupção passiva custaram aos cofres públicos R$ 2,1 bilhões somente neste mês de julho.

Os dados são de um levantamento divulgado na última segunda-feira, 24, pela ONG Contas Abertas. O levantamento considera o orçamento empenhado pelo governo, ou seja, compromissos assumidos para pagamentos posteriores.

Segundo a organização, entre janeiro e 19 de julho de 2017, o governo federal liberou R$ 4,1 bilhões em emendas para parlamentares. Deste total, a maior parte foi liberada em julho: R$ 2,1 bilhões. As emendas vêm funcionando como uma moeda de troca entre o presidente e deputados. A estratégia consiste em liberar verba para emendas em troca de lealdade no voto contra a denúncia no Congresso.

Do total liberado em emendas em 2017, mais de 82% foi para deputados federais (R$ 3,5 bi) e o restante para senadores. No topo do ranking de beneficiados estão as bancadas estaduais do Maranhão, Roraima e Rio Grande do Norte.

A liberação dos recursos ocorre em pleno momento que o governo lida com um déficit fiscal de R$ 139 bilhões. Além disso, o montante empenhado pelo governo para emendas este ano já representa 70% do corte de gastos promovido nas contas públicas. Na semana passada, o Ministério do Planejamento anunciou um contingenciamento de mais R$ 5,9 bilhões nas despesas do governo federal.Jornal do Brasil

COMPORTAMENTO




INSERÇÃO POLÍTICA - Farc anunciam criação de partido político na Colômbia

Partido terá direito a dez assentos no Congresso colombiano (Foto: Efraín Herrera – SIG)

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram na última segunda-feira, 24, que lançarão seu partido político em 1º de setembro, um mês após o completo desmantelamento da guerrilha. O anúncio foi feito pelo líder do grupo Carlos Antonio Lozada, membro do Estado Maior das Farc, em coletiva de imprensa.

“Em 1º de setembro estaremos lançando publicamente o novo movimento político”, disse Lozada, afirmando ainda que o partido será apresentado em um ato político na Praça Bolívar, em Bogotá.

A iniciativa marca a entrada das Farc no cenário político do país. Como parte do acordo de paz assinado com o governo colombiano, o partido terá direito a dez assentos (cinco no Senado e cinco na Câmara) não eleitos no Congresso até 2023 – depois desta data, terá de participar das eleições. A legenda também poderá lançar candidatos durante as eleições para tentar aumentar sua participação parlamentar.

O grupo ainda não definiu os nomes que concorrerão às eleições e ocuparão as vagas no Congresso nem o nome do partido, mas fará encontros para traçar os alinhamentos da legenda e ajustar suas propostas políticas.

“Temos uma proposta de modelo econômico, a política de gênero que será realizada por nosso partido, as propostas que faremos ao setor da juventude, bem como a defesa do meio ambiente, a política do partido frente à questão urbana e, igualmente, para a parte agrária”, informou Lozada.

Em entrevista à agência France Presse, o cientista político Marc Chernick afirmou que o partido “pode ser um passo para a abertura do sistema político na Colômbia”. O cientista, que é professor universidades de Georgetown (Washington) e Los Andes (Bogotá), considera que as Farc buscarão consolidar um partido político de esquerda, mas não necessariamente marxista.

Além da participação na política, o acordo concederá anistia à maioria dos ex-combatentes das Farc. Rebeldes condenados por tribunais especiais por violações de direitos humanos terão suas penas substituídas por trabalhos sociais, como remover minas terrestres. O acordo de paz põe fim a um conflito armado de mais de 50 anos.Estadão

JAPÃO - Escândalos ameaçam futuro político de Shinzo Abe

As suspeitas são que Abe tenha favorecido dois grupos de escolas com quem têm ligações pessoais (Foto: kremlin.ru)

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, está lutando por seu futuro político no país, enquanto escândalos fazem despencar sua popularidade. Abe quer outro mandato como líder do Partido Democrático Liberal no próximo ano. Seu partido chegou a mudar suas regras para permitir que Abe pudesse concorrer a um terceiro mandato consecutivo.

No entanto, acusações contra o governo de Abe estão diminuindo sua força política e fazendo com que o primeiro-ministro não seja tão imbatível nas urnas como era antes. Na semana passada, uma pesquisa elaborada pelo jornal japonês Mainichi apontou que a popularidade de Abe caiu pelo segundo mês consecutivo, despencando dez pontos percentuais e se estabelecendo em 26%, o mais baixo percentual desde que Abe retornou ao poder em 2012.

As suspeitas são que Abe tenha favorecido dois grupos de escolas com quem têm ligações pessoais. O primeiro escândalo foi um negócio entre o Ministério das Finanças e um grupo escolar nacionalista, conhecido como Moritomo Gakuen. O grupo conseguiu comprar um terreno a preço baixo, cerca de 14% do valor estimado. A esposa de Abe, Akie Abe, ainda foi nomeada diretora honorária da escola. Após o escândalo chegar ao público, ela renunciou ao cargo. O segundo escândalo foi a suspeita de que Abe teria ajudado o seu amigo Kotaro Kake a obter aprovação para abrir uma escola veterinária no oeste do país.

Abe nega o envolvimento pessoal, mas pesquisas mostram que os eleitores duvidam de sua palavra. Principalmente depois que documentos do Ministério da Educação foram vazados, mencionando o envolvimento de uma “autoridade do gabinete do primeiro-ministro” com a história da escola veterinária.The Guardian

VIVENDO NO BRASIL

VENEZUELA CRISE

Venezuela detém mais 2 magistrados nomeados pelo parlamento

EFE/Miguel Gutiérrez

A Assembleia Nacional da Venezuela (AN) denunciou nesta terça-feira que o Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin) deteve outros dois juízes que esse Poder Legislativo nomeou em 21 de julho como magistrados do Supremo para substituir os atuais, que o parlamento considera "ilegítimos".

"Sebin Anzoátegui (nordeste) detém os magistrados recém-juramentados pela AN, Jesús Rojas Torres e Zuleima González", informou o parlamento venezuelano através de seu perfil oficial no Twitter.

No último sábado, o serviço de inteligência venezuelano também deteve o magistrado Ángel Zerpa, apenas um dia depois que ele foi nomeado pelo parlamento, por isso já são três os juízes detidos depois de serem juramentados como magistrados do Supremo perante o Poder Legislativo.

O presidente da AN, o opositor Julio Borges, pediu à comunidade internacional que esteja "alerta diante da perseguição da ditadura" do presidente, Nicolás Maduro, contra os magistrados recém-indicados.

Zerpa iniciou ontem uma greve de fome depois que um tribunal militar pediu sua prisão e, por isso, funcionários do Ministério Público indicaram hoje que comparecerão à sede do Sebin para "verificar" seu estado de saúde.

Maduro disse no domingo que os 33 magistrados indicados como tais pelo parlamento serão presos "um a um" e terão seus bens congelados os seus bens e suas contas bancárias.

"Todos serão presos e todos terão seus bens congelados, as contas e tudo, e ninguém irá a defendê-los", afirmou durante o seu programa semanal na emissora de televisão pública.

A oposição venezuelana aprovou na sexta-feira as designações de novos magistrados semanas depois que a procuradora-geral, Luisa Ortega, impugnou sem sucesso as nomeações de 33 juízes que agora ocupam as cadeiras do Supremo por supostas irregularidades no seu processo de escolha.

Os juízes em exercício foram designados pelo parlamento quando este era ocupado pela maioria chavista em um processo relâmpago concluído em alguns dias, justo após a vitória opositora nas eleições legislativas de 2015 e antes que a nova maioria tomasse posse.

Após a escolha pelo parlamento dos 33 juízes paralelos, o Supremo advertiu os recém-nomeados que estavam incorrendo em "delitos de traição à pátria" contemplados pela Justiça Militar e, além disso, pediu "medidas de coerção" contra todos os que participaram dos supostos delitos.EFE

BREXIT UE

Comissão Europeia diz que "será impossível" não fazer cortes após "Brexit"

O alemão Gunther Oettinger, comissário europeu de Programação Financeira. EFE/Olivier Hoslet

O comissário europeu de Orçamento e Recursos Humanos, Günther Oettinger, disse nesta terça-feira que "será impossível" não fazer cortes nos orçamentos posteriores à saída do Reino Unido da União Europeia (UE), inclusive nos "fundos estruturais e de coesão".

"É impossível de evitar, há uma brecha muito ampla", apontou Oettinger em um encontro com jornalistas, no qual lembrou que o Reino Unido contribui com cerca de 12 bilhões de euros anuais líquidos no orçamento comunitário.

O comissário insistiu na oportunidade para tornar mais "efetivo" o orçamento europeu e evitar sobreposições em questões que recebem fundos regionais, nacionais e comunitários.

Oettinger advertiu também que "não se deve deixar de gastar nem um euro que represente valor agregado".

Ainda que a data de saída prevista por Bruxelas e Londres para a saída do Reino Unido do bloco seja em março de 2019, o marco orçamentário plurianual termina em 2020.

Além disso, Londres deverá fazer frente a "todos os pagamentos comprometidos, inclusive além dessa data".

Por outro lado, o comissário alemão, também responsável pela carteira de Recursos Humanos na UE, quis passar uma mensagem de tranquilidade aos trabalhadores das instituições europeias com passaporte britânico.

"Faremos todo o possível para que não sofram nenhuma consequência nem discriminação", apontou Oettinger quando perguntado se os funcionários europeus terão suas carreiras abaladas dentro da administração europeia após a saída do seu país.

O comissário reconheceu que pode haver alguns "conflitos de interesses" em carteiras como Comércio para altos cargos britânicos na administração comunitária.

"Ter um diretor-geral de Comércio na Comissão Europeia seria complicado", disse o alemão, que acrescentou que não vê "nenhum problema" caso a maioria dos cargos da UE seja ocupada por britânicos.EFE

EUA ECONOMIA

Fed inicia reunião com preocupação por persistente queda da inflação nos EUA

EFE/Michael Reynolds

O Federal Reserve (Fed) começou nesta terça-feira uma nova reunião de política monetária, com um possível esfriamento do ritmo de aumento das taxas de juros devido às crescentes dúvidas sobre a persistente baixa inflação nos Estados Unidos.

O encontro de dois dias do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC), órgão do banco central americano que dirige a política monetária, terminará com a divulgação, amanhã (às 15h de Brasília), de seu comunicado final.

Os analistas do mercado concordam que o Fed manterá os juros no atual patamar, de entre 1% e 1,25%.

Todas as atenções estarão voltadas às menções à inflação nos EUA, que nos últimos meses tem ficado abaixo da meta anual do Fed, que é de 2%. Em junho, o índice de preços interanual foi de 1,6%, abaixo das marcas de maio (1,9%) e abril (2,2%).

Esta desaceleração gerou preocupação e incômodo entre os membros do Fed, especialmente quando a taxa de desemprego está em seu menor nível em quase duas décadas (4,4%), próxima do pleno emprego.

Tanto os preços como os salários não estão respondendo com uma tendência de aumento como era de se esperar em um entorno de pleno emprego, o que pode piorar ainda mais com novos aumentos dos juros.

Por isso, os analistas consideram que o Fed poderia retardar seu plano de gradual elevação dos juros para aguardar indicadores mais sólidos de aumento na atividade econômica e dos preços.

Desta vez, não haverá coletiva de imprensa da presidente do banco central americano, Janet Yellen.

Há duas semanas, em um pronunciamento ao Congresso, Yellen afirmou que ainda é "prematuro" julgar que a fragilidade dos preços seja estrutural, mas reconheceu que "pode haver algo mais" que quedas de preços em setores concretos.

A estas dúvidas se somou a recente diminuição das previsões de crescimento para os EUA diante da falta de detalhes sobre os prometidos planos de estímulo fiscal por parte do presidente Donald Trump.

No seu recente relatório sobre a economia dos EUA, o Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu as previsões de crescimento para 2,1% em 2017 e 2018. As estimativas feitas três meses antes foram de 2,3% e 2,5%, respectivamente.EFE

MUNDIAL DE ESPORTES AQUÁTICOS

Brasileiro bate recorde sul-americano e faz 3º melhor tempo nos 50m peito

Imagem do nadador brasileiro, João Gomes Junior. EFE/JuanJo Martín

O brasileiro João Gomes Jr. fez nesta terça-feira o terceiro melhor tempo geral nas provas de classificação para as semifinais dos 50m peito no Mundial de Esportes Aquáticos, que está sendo disputado na Hungria, e quebrou o recorde sul-americano com 26s67, enquanto Felipe Lima passou em sexto, com 26s93.

Com isso, João Gomes superou o recorde de Felipe França, que foi prata no Mundial em 2009 com 26s76. Os dois brasileiros classificados voltam à piscina ainda nesta terça-feira e tentarão avançar rumo à grande final.

O melhor tempo da classificação foi do britânico Adam Peaty, que bateu o recorde mundial da prova com o tempo de 26s10. Peaty era detentor do recorde anterior dos 50m peito com o tempo de 26s42, uma marca conseguida há dois anos no Mundial disputado em Kazan, na Rússia.

A marca do britânico é o segundo recorde mundial batido na piscina de Budapeste. O anterior foi obtido pela sueca Sara Sjöstrom nos 100m livre, quando ela se transformou na primeira mulher a fazer um tempo abaixo dos 52 segundos (51s71).EFE

EUA TELEVISÃO

Criador de "Simpsons" prepara nova série para a Netflix

EFE/Daniel Deme

A plataforma de streaming Netflix anunciou nesta terça-feira que exibirá a série de animação para adultos "Disenchantment", o novo programa idealizado pelo criador de "Simpsons", o cartunista Matt Groening.

Em comunicado à imprensa, a Netflix detalhou que "Disenchantment" contará as aventuras de Bean, uma princesa com problemas com o álcool que é acompanhada por um elfo e um demônio. Ao longo da jornada, o trio encontrará criaturas de todos os tipos: bichos-papões, duendes, trolls e também humanos.

"Basicamente, 'Disenchantment' trata sobre a vida e a morte, amor e sexo, e sobre como continuar rindo em um mundo cheio de sofrimento e de idiotas", descreveu Groening.

Em princípio, a Netflix planeja 20 episódios para a nova série. A previsão é que os dez primeiros estarão disponíveis em 2018.

A vice-presidente de conteúdo original da empresa, Cindy Holland, disse que o "brilhante trabalho" de Groening repercutiu em várias gerações de fãs no mundo todo e garantiu que "Disenchantment" contará com o estilo de animação e o sarcasmo característico de Groening.EFE

terça-feira, 25 de julho de 2017

MENSAGEM DO DIA

NO PARÁ DO AÇAÍ - JULHO 9

Estação das Docas - Belém do Pará

Governo federal planeja PDV e jornada reduzida para servidores públicos


O governo federal deve editar nos próximos dias uma medida provisória para criar um programa de demissão voluntária (PDV) para os servidores públicos do Poder Executivo, informou o Ministério do Planejamento nesta segunda-feira (24).
De acordo com o ministério, quem aderir terá direito a receber 1,25 salário para cada ano trabalhado.



Além disso, informou o Planejamento, está sendo preparada uma proposta de implementação da jornada de trabalho reduzida. Ela vai permitir que, ao invés de 8 horas diárias e 40 horas semanais, os servidores possam optar por:

trabalhar 6 horas diárias e 30 semanais;

trabalhar 4 horas diárias e 20 semanais;

Neste caso, o servidor terá o salário cortado na mesma proporção da redução da jornada de trabalho.

"Será assegurado ainda, a quem optar pela redução de jornada, o pagamento adicional de meia hora diária, calculada conforme regulamentação a ser editada pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão", informou o ministério em nota.

Ajustes no orçamento

O objetivo do governo é diminuir os gastos com a folha de pagamentos, num momento de fragilidade nas contas públicas. De acordo com o Planejamento, apenas o PDV deve gerar economia de cerca de R$ 1 bilhão ao ano.

Os gastos da União com o pagamento de servidores aumentaram nos últimos três anos em relação ao Produto Interno Bruto (PIB).
Em 2014, por exemplo, o governo gastou R$ 222,37 bilhões (3,8% do PIB) com pagamento do funcionalismo. O valor passou para R$ 238,49 bilhões em 2015 (o equivalente a 4% do PIB) e para R$ 257,87 bilhões em 2016, o equivalente a 4,1% do Produto Interno Bruto (PIB).G1

Novo Código Penal pode mudar delação e prisão preventiva

Muitos parlamentares têm criticado essas medidas, consideradas pilares da Lava Jato (Foto: Agência Brasil)

Parlamentares de uma comissão especial da Câmara discutem alterações nas regras de delação premiada, prisão preventiva e condução coercitiva que farão parte do novo Código de Processo Penal (CPP). A reforma, aprovada no Senado em 2010, voltou a ser debatida apenas no ano passado, informou o jornal Estado de S. Paulo.

Essas medidas são tidas como pilares da Operação Lava Jato, embora sejam muito criticadas por parlamentares. O Ministério Público Federal (MPF) atribui às delações importância significativa para o sucesso da operação e entende que ações para rever os acordos de delação têm como finalidade enfraquecer as investigações.

Atualmente, a colaboração premiada é regulada por uma lei de 2013, que trata de organizações criminosas, e o CPP não prevê duração máxima para as prisões preventivas e nem punição para casos de uso abusivo do instrumento de condução coercitiva. Entretanto, nenhuma das alterações nas medidas foi sistematizada nos relatórios da proposta e ainda estão em discussão.

O presidente da comissão que discute o CPP, deputado Danilo Forte (PSB-CE), tem defendido mudanças na delação e na aplicação da condução coercitiva. Ele discorda do fato de uma pessoa presa poder fechar acordos de colaboração e afirma que há um poder excessivo nas mãos dos procuradores.

Danilo Forte defende que toda a negociação entre o Ministério Público e o delator seja acompanhada pelo juiz e critica o acordo firmado com os irmãos Joesley e Wesley Batista, dizendo que o perdão da pena concedido a eles pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi excessivo. Além disso, ele defende também que a condução coercitiva deve ser colocada em prática somente se uma pessoa se negar a prestar depoimento.

Prisões preventivas

Um relatório parcial elaborado pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP) defende que haja um prazo máximo de 180 dias de cumprimento de prisão preventiva. Embora alguns deputados defendam um tempo menor, o parlamentar manteve a proposta que foi aprovada no Senado em 2010.

Teixeira defende que a prisão preventiva “jamais” possa ser utilizada como “forma de antecipação da pena” e afirma que o “clamor público não justifica, por si só, a decretação da prisão preventiva”.

O relatório também pede a revogação do entendimento de que as penas podem começar a ser cumpridas após a condenação em segunda instância. Teixeira defende que a pena só comece a ser cumprida quando todos os recursos se esgotarem, após o chamado trânsito em julgado.

Embora alterações no CPP ainda não sejam unanimidade na Casa e ainda estejam em discussão, o cronograma da comissão especial prevê que o relator João Campos (PRB-GO) entregue seu parecer ainda em agosto e o projeto seja votado até outubro.Estado de S. Paulo

Geddel pode ser alvo de duas denúncias do MPF

Geddel foi preso no dia três deste mês, na Operação Cui Bono (Foto: EBC)

Procuradores do Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF-DF) trabalham para identificar a rota da propina que teria sido recebida pelo ex-ministro da Secretaria do Governo Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) para liberar verba de fundos de investimentos geridos pela Caixa Econômica Federal (CEF).

Geddel foi preso no dia três deste mês, na Operação Cui Bono, que investiga irregularidades na liberação de créditos da Caixa, banco estatal no qual Geddel ocupou a vice-presidência de Pessoa Jurídica (2011-2013). No último dia 12 ele ganhou permissão para cumprir prisão domiciliar.

A princípio, os procuradores pretendem denunciar Geddel por obstrução de Justiça. O ex-ministro é acusado de pressionar o doleiro Lúcio Funaro e sua esposa, Raquel Pitta, a não fechar acordo de delação premiada.

A acusação embasou o pedido de prisão do ex-ministro. Segundo o MPF, Geddel tentou garantir que o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Funaro recebessem vantagens indevidas para não fazer delação, além de “monitorar” o comportamento do doleiro para pressioná-lo a não fechar o acordo. No pedido de prisão preventiva apresentado à Justiça, foram citadas mensagens enviadas recentemente (entre os meses de maio e junho) por Geddel à esposa de Funaro.

A denúncia por obstrução de Justiça deve ser apresentada nos próximos 15 dias. Uma vez apresentada, os procuradores vão concentrar os trabalhos em uma segunda denúncia contra Geddel, desta vez pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

E é para isso que os procuradores precisam identificar a rota da propina recebida por Geddel para liberar verba do FI-FGTS, um fundo de investimentos operado pela Caixa que utiliza recursos do FGTS. A estimativa é que Cunha e Geddel tenham atuado na liberação de R$ 1,2 bilhão em recursos em troca de vantagens ilícitas. A dupla nega seu envolvimento no caso. Identificada a rota, os procuradores teriam base para apresentar a segunda denúncia.Uol

O Egito Antigo e a medicina atual

Os mortos deveriam ser enviados inteiros ao além. Em alguns casos, tinham que usar próteses (Foto: Pixabay)

A medicina no Egito Antigo era diretamente ligada ao conceito de magia. Apesar disso, ela era tão prática, que alguns dos métodos utilizados ainda são usados nos dias atuais.

Muito dos conhecimentos se perderam com o desaparecimento da Biblioteca Real de Alexandria. No entanto, o que se sabe sobre a medicina do Egito Antigo já surpreende, como os conhecimentos em cirurgia, tratamentos dentários, próteses e circuncisão.

Cirurgia

Como os mortos eram mumificados, os egípcios tinham a chance de analisar as partes do corpo e associá-las com as doenças que a pessoa teve em vida. Desta forma, os egípcios conseguiram coletar conhecimentos o suficiente para fazer cirurgias.

Tratamentos dentários

Escrito no século 1500 aC, o Papiro Ebers é um dos tratados médicos mais antigos do mundo. Nele, há várias receitas para tratamentos dentários. Uma delas era para tratar “dente que coça até a abertura da pele”. Entre os materiais que usavam nos tratamentos, estavam resina de incenso, mel (que tem propriedade antisséptica) e linho.

Próteses

Como os mortos deveriam ser enviados inteiros para o além, os egípcios recorriam a próteses, que também era usada entre os vivos. A prótese mais antiga conhecida é a de um dedo do pé, usada por uma mulher.

Circuncisão

Várias sociedades por diversas razões praticavam a circuncisão. No Egito Antigo, isso era tão comum que o pênis não circuncidado era visto com estranheza. Há escritos que revelam a fascinação dos soldados egípcios em relação aos pênis dos povos líbios conquistados.

Sistema médico

O governo era quem controlava o sistema médico. Os médicos eram treinados em institutos específicos e o ensino seguia um currículo determinado. Os pacientes podiam ser atendidos e tratados nestes locais. Além disso, havia acampamentos médicos próximos a canteiros de obras para ajudar os operários que sofressem acidentes. Há indícios de que existia uma espécie de auxílio-doença. Se o operário sofresse um acidente no trabalho e não pudesse trabalhar por conta disso, ele continuaria ganhando durante o período da enfermidade.BBC

FMI LAGARDE

Lagarde sugere que FMI pode mudar sede central para China em 10 anos


A sede central do Fundo Monetário Internacional (FMI) poderia mudar para a China em uma década como reflexo do crescente peso do país no cenário internacional, indicou nesta segunda-feira a diretora-gerente do órgão, Christine Lagarde.

"Se tivéssemos essa conversa dentro de dez anos, poderemos não estar sentados em Washington. A faríamos na nossa sede central em Pequim", afirmou Lagarde em uma conferência no centro de estudos Center for Global Development, na capital dos Estados Unidos.

Lagarde indicou que a mudança é uma "possibilidade" já que os estatutos do FMI indicam que a sede da instituição deve ficar na principal economia mundial. No entanto, para que isso ocorra, disse a diretora-gerente, é preciso que a China cumpra com seus compromissos de abertura e maior transparência de seu sistema.

A sede do FMI, órgão criado em 1944 junto com o Banco Mundial como parte do acordo de Bretton Woods, fica desde sua fundação em Washington. Os EUA contam atualmente com a maior porcentagem dos votos na instituição, com capacidade de veto.

O crescente peso dos mercados emergentes, especialmente da China, que registrou crescimento superior a 6% na última década, aumentou a pressão sobre o FMI para dar mais voz a essas econonomias, como reconhecimento de sua cada vez maior influência global.

Os economistas esperam que a China supere os EUA como detentora do maior Produto Interno Bruto (PIB) nominal, sem efeito da inflação, na próxima década.

Em 2015, a instituição decidiu incluir o yuan no cesto de moedas de reserva do órgão. Elas são usadas para calcular o chamado direito especial de saque, a moeda nominal do FMI, que até então era formado pelo dólar, o euro, a libra esterlina e o iene.

A decisão foi um grande reconhecimento para a China pela mostra de confiança na estabilidade da moeda do país e de sua política monetária.EFE